domingo, 14 de abril de 2013

Fotografando em condições adversas - quais as recomendações?

Chuva em Nova York


Já falamos sobre os diferentes horários do dia para se fotografar, sobre as "hora douradas" e também sobre algumas condições climáticas especiais.

No entanto, nunca é demais tomar cautela em algumas circunstâncias, assim como saber o que esperar.

Chovendo


Geralmente, chuva é um balde de água fria para qualquer fotógrafo.

Se você pretende fazer retratos, talvez seja obrigado a ir para um ambiente fechado. Se for para fotografar paisagens, então a situação pode ficar bastante complicada.

Por outro lado, dias chuvosos também podem significar belas e interessantes fotos. Se você tiver uma câmera (e uma lente) resistentes à chuva, é só sair por aí clicando sem medo de ser feliz.

No entanto, se sua câmera é daquelas que jamais aguentariam um chuvisco, isto é, a maioria dos modelos de todas as marcas, o recomendável é encontrar algum lugar protegido, de onde você poderá fotografar. Alguns bons refúgios são de dentro de um carro, sob uma marquise ou pela janela.

Como fotografar os pingos da chuva?



Isto não é nada fácil, eu lhe garanto.

Se for uma chuva muito fraca ou fina, será quase impossível fotografar os pingos caindo. Já com chuvas mais fortes, é possível capturar as gotas usando o flash e com uma velocidade do obturador mais rápida, como 1/100, ou mais veloz.

Na imagem acima, é possível observar a chuva caindo no primeiro plano, enquanto os edifícios ficaram nítidos.



Já nesta segunda imagem, que foi um pouco mais complicada de ser obtida, o foco da lente foi obtido manualmente, para uma distância aproximada de uns 3 metros e, usando o flash, foi possível fotografar claramente as gotas mais próximas (aqueles risquinhos brancos).

Sol forte na praia


Um belo dia de sol na praia parece ser a condição ideal para uma boa foto. Contudo, não se engane. O reflexo do sol na areia branca ou no mar pode facilmente enganar o fotômetro de sua câmera, fazendo com que você exponha incorretamente a foto, subexpondo-a (escura demais).

Nestas circunstâncias, você terá duas opções:

1 - tirar duas ou três fotos até obter a exposição correta, o que nem sempre é fácil, pois o sol forte pode atrapalhar na hora de conferir o resultado no visor digital, ou



2 - fiar-se na tabela sol-16. Lembrando que esta tabela prevê que, num dia ensolarado, a exposição deve ser de velocidade do obturador igual a ISO para f/16.
"Credo, isto parece álgebra!", você deve estar gritando. Na prática, é muito mais simples. Se você estiver com a câmera em ISO 100, basta ajustar a velocidade do obturador para 1/125 e a abertura de diafragma para f/16.
Quase nunca falha.
Leia mais sobre o sol-16 aqui.

E não se esqueça que, se sua câmera não for à prova d'água, jamais mergulhe com ela no mar. Também é bom dar uma limpada na câmera e nas lentes depois, para tirar areia do equipamento.

Escuro demais

Situações nas quais você se depara com um cenário escuro demais criam dois problemas principais: 1 - consegui focar corretamente e 2 - decidir-se qual é a exposição correta.

Quando se trata de uma paisagem, como na imagem acima, você ainda terá a opção de fazer uma longa exposição, isto é, deixar o obturador aberto por vários segundos, ou até minutos, até conseguir a exposição desejada.


Contudo, se você estiver fotografando uma pessoa, a solução será usar o flash, alguma lente rápida ou jogar o ISO nas nuvens.
Na foto acima, foi usado um flash direto num salão escuro. Uma velocidade do obturador mais lenta permitiu também que a iluminação ambiente fosse capturada.


Já nesta outra foto, uma lente rápida permitiu obter a imagem mesmo com pouquíssima iluminação. No entanto, neste caso, o problema da focagem continua, às vezes obrigando o fotógrafo a usar o foco manual.

Nevando

Sei que não neva no Brasil, mas, se por acaso um dia você estiver em algum país que neva, certamente desejará preservar este momento.

Fotografar a neve caindo representa quase os mesmos desafios da chuva. Você precisará de uma velocidade do obturador mais rápida, além de ter de ser uma neve mais gorda.


Se for um dia ensolarado e você estiver fotografando uma paisagem nevada, valem as mesmas regras para um dia de sol na praia. A neve reflete a luz e pode confundir o fotômetro da câmera. Talvez sejam necessários alguns cliques até obter a exposição correta.

Por causa do frio, você também tem de prestar atenção à condensação.
Quando você passa de um ambiente muito frio para outro muito quente, o visor poderá embaçar, portanto, o melhor é guardar o equipamento na mochila, para que a variação térmica não seja muito grande, evitando assim também outros problemas que a condensação pode causar nas câmeras.

Não há porque ter medo de situações adversas, mas sempre preste atenção a estas recomendações. Depois, você se habituará a elas e já saberá como se comportar na chuva, no sol escaldante e até na neve.

***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

  1. Henry, mais uma vez parabéns pela proposta. Seu blog é um dos que recomendo quando alguém pergunta sobre conteúdo introdutório à fotografia. Informações técnicas, porém descomplicadas, escritas de forma muito agradável de se ler. E ainda com um monte de dicas práticas de grande valia. Grande abraço!

    ResponderExcluir