terça-feira, 17 de janeiro de 2012

História da Fotografia - Parte 2: Kodak e a câmera nas mãos das pessoas comuns

(Uma sátira da fotografia no final do século XIX. Repare no suporte na cabeça do fotografado, para que ele não a mexesse e a foto ficasse borrada)

Ler História da Fotografia Parte 1 - Os Primórdios

Após todas as descobertas e processos iniciais da fotografia, o inventor John Hershel desenvolveu, em 1842, a técnica do cianótipo, que criava imagens fotográficas azuladas e também ficou conhecido como blueprint.

Old Cart in Tanfield - Cyanotype

Este é um processo ainda utilizado por alguns fotógrafos como proposta estética, pois produz resultados bastante artísticos e interessantes.
Hershel também cunhou alguns termos importantes no mundo da fotografia, como positivo e negativo, e também adotou a palavra "photography" para descrever o registro de imagens.

(Fotografia obtida com processo de colódio úmido, anônimo)

Já em 1851, o inglês Frederick Scott Archer desenvolveu o processo conhecido como negativo de colódio úmido, que criava um negativo fotográfico sobre uma placa de vidro.
Este foi o processo mais popular entre os anos de 1852 e 1860, até a invenção do colódio seco, que possuía várias vantagens sobre o processo anterior, como maior tempo para revelar o negativo sem a necessidade de câmera escura, no entanto, tinha metade da sensibilidade do colódio úmido, ou seja, exigia maior tempo de exposição.

George Eastman e a Kodak

(George Eastman, um dos maiores revolucionários no mundo da fotografia)

O americano George Eastman patenteou o filme fotográfico em 1884 e fundou a Eastman Kodak Company em 1892. Ele jamais deve ter imaginado que havia iniciado a maior revolução na fotografia por mais de um século.
O surgimento do filme fotográfico tornou as câmeras mais portáteis, a revelação mais simples e permitiu a verdadeira popularização da fotografia.
E a jogada mais genial da Kodak foi a slogan "Você aperta o botão, nós fazemos o resto". Assim, os fotógrafos amadores só tinham de se preocupar em sair às ruas e fotografar, depois enviavam o filme ou a câmera para a sede da Kodak, eles revelavam o rolo e mandavam de volta as fotos e a câmera.

(Uma Kodak Brownie n.2)

Em 1900, foi lançada a Kodak Brownie, que se tornou uma febre nos EUA. Custava, na época, apenas 1 dólar, que era bastante para o começo do século XX, mas ainda acessível para os trabalhadores comuns, e milhões destas câmeras foram vendidas, consolidando a Kodak tanto quanto fabricante de filmes quanto de câmeras fotográficas por várias décadas.

(Imagem obtida com uma Kodak Brownie)

As fotos ainda eram monocromáticas, mas, pela primeira vez, era possível para pessoas, no dia a dia, registrarem suas vidas, o que elas viam, e também criarem arte. A Kodak havia dado ao mundo a possibilidade de expressão, da maneira mais simples e espontânea possível.

Era a consolidação da fotografia como a memória do cotidiano.

Fontes de referência: Wikipedia e Wikicommons



***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

  1. Ultimamente tenho lido bastante a respeito da história da fotografia e cada vez mais tenho pensado em adquirir uma câmera de filme. Lembro que quando criança eu achava mágico aquele rolo de filme "se transformar" depois em um álbum de fotos. No dia que o filme completava o número de poses era uma alegria só, pois sabia que em breve teria em mãos muitas fotos e o melhor de tudo, os negativos...

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto de fotografar com filme, Wigui, é uma experiência bastante diferente do que com câmeras digitais.

    Primeiro, porque é um modo para entender de fato o que é fotografia, pois é tão simples e tão mágico ao mesmo tempo.

    Depois, porque é uma ótima maneira para treinar o olho, pois, cmo câmeras digitais, você tira uma foto, ficou ruim, tira outra, ficou boa. Já com câmeras de filme, você só saberá se ficou boa quando revelar o filme, que é sempre uma surpresa.

    É possível encontrar várias câmeras boas e baratas no ebay.com

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Pois então, as lembranças que tenho da época de infância são tão boas... no entanto não são suficiente para fazer essa ligação entre as duas fases (filme x digital) que com certeza irão me ajudar bastante a treinar o olhar, sem contar na surpresa que se tem ao ver o filme revelado.

    Obrigada pela dica de compra!

    Abs.

    ResponderExcluir
  4. Ainda hoje li sobre a falência da Kodak e seu encerramento definitivo. Deu uma tristeza... Pra quem gosta de fotografia, de verdade, não há como não se curvar em agradecimento a essa marca que hoje se torna uma lembrança histórica.
    RIP Eastman Kodak Company...

    ResponderExcluir