aprenda a fotografar com os artigos do cala a boca e clica
Curso de introdução à fotografia do Cala a boca e clica
quais são as melhores cameras para 2013?

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Samsung Galaxy Camera: um tablet, um celular ou uma câmera fotográfica?


Há anos que prevejo que isto seria o futuro das câmeras fotográficas, ou pelo menos de um segmento das câmeras fotográficas.

Seja sincero e me responda: para que você usa uma câmera fotográfica hoje em dia?

Aposto que a maioria de vocês respondeu, sem hesitação: "para compartilhar com meus amigos no Facebook".

Fotografar se tornou um hábito social. Fotografamos as nossas vidas para poder dividi-las com nossos amigos, familiares, ou amores, muitos deles que estão distante de nós.

Nada mais natural que a câmera fotográfica também se transformasse e se conectasse à internet.
Isto não é novidade. Celulares com câmeras fotográficas já tem alguma história nas costas, e recentemente há uma porção de pessoas andando e fotografando com tablets por aí.
Mas qualquer um que já usou uma câmera de celular ou de um tablet e que já teve a oportunidade de fotografar com uma Reflex conhece as diferenças e as limitações daqueles equipamentos.

É neste ponto em que a Samsung resolvou atacar com a Samsung Galaxy Camera. Esta criatura é um tablet, assim como qualquer outro Samsung Galaxy, e também um telefone celular 3G, porém, o mais impressionante é que, acima de tudo, é uma câmera fotográfica, com resolução de 16.3 megapixels, zoom ótico de 21x (isto é, uma superzoom), com modo manual, filma em HD e possui uma porção de apps para incrementar suas fotos, usando Android.

A Samsung deu um passo imenso na tentativa de unir fotografia de verdade com os tablets. Sua grande concorrente no mercado de tablets, a Apple, não possui tradição de fabricar câmeras. As grandes fabricantes de câmera, como Canon e Nikon, não tem competência no ramo de tablets.

Por enquanto, a Samsung corre sozinha neste universo e, provavelmente, ditará o futuro das câmeras para muitos de nós, que usamos nossas fotos como uma maneira de dialogar com as pessoas ao nosso redor (virtualmente).

Por enquanto, o preço é alto, por volta de 600 dólares nos EUA, mas a tendência é que, se por acaso se popularizar e tornar-se uma tendência, que caia bastante nos próximos anos.


***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Vai comprar uma câmera fotográfica? Confira quais são as melhores para 2013



Quer dizer que você decidiu comprar uma câmera fotográfica legal neste ano de 2013 e realmente aprender a fotografar?


Antes de tudo, confira o livro do nosso Curso de Introdução à Fotografa do Cala a Boca e Clica!, onde você poderá aprender tudo que interessa para começar a fazer estragos com sua nova câmera por aí, impressionando amigos e parentes e, quem sabe, até lhe dar um empurrãozinho caso um dia você queira tornar-se um fotógrafo profissional.

Depois, você tem de saber qual é um bom equipamento fotográfico e entender a diferença entre os diferentes tipos de câmera, para isto, dê uma lida nos artigos sobre câmeras compactas e câmeras profissionais, e também Então você decidiu comprar uma câmera Reflex?

Assim, você entenderá quais são suas necessidades e que tipo de investimento você terá de fazer, sempre lembrando que, quanto melhor for o equipamento, mais você terá de desembolsar. No entanto, sempre repito: uma boa câmera não faz de alguém um bom fotógrafo. Se você não souber utilizá-la, as fotos continuarão desinteressantes.

O que se segue é uma listagem de recomendações minhas, de câmeras boas e que lhe darão grande controle sobre a foto, permitindo-lhes aprender e desenvolver suas habilidades fotográficas.

Canon SX260 - a melhor câmera compacta


Aqueles que querem um câmera pequena, simples e discreta, que caiba no bolso e com a qual seja possível obter boas fotos não se decepcionará com a Canon SX260.

São 12.1 megapixels de resolução, fotografa em .JPEG e .RAW e faz vídeos em HD. Tem flash embutido e zoom ótico de 20x.

O preço médio desta câmera nos EUA é de U$ 300.

Panasonic FZ200 - a melhor câmera superzoom


Para quem quer uma câmera com o máximo de zoom possível, a Panasonic sempre possui um bom desempenho.
A Lumix FZ200 tem resolução de 12.2 megapixels e distância focal equivalente a 25-600mm, filma em HD e é um equipamento confiável para várias situações, além de possuir modo manual para aqueles que pretendem aprender fotografia mais a sério.

Custa em torno de 500 dólares.

Canon G15 - disputando a liderança entre as compactas avançadas


A verdade é que a maioria das pessoas não precisa mais do que uma Canon G15 para obter ótimas fotos. Esta câmera é a mescla perfeita dos recursos de câmeras compactas, simples e prática, com de câmeras profissionais, que permite controle total do fotógrafo.
São 12.1 megapixels, com fotos em .JPEG e .RAW, e lente com distância focal equivalente a 28-140mm. Possui Modo Manual e vários controles que fazem da G15 uma experiência bastante próxima de uma Reflex, quando se trata de controlar a exposição. Tem flash embutido e faz filmes em HD.

Está custando por volta de U$ 500 e é o melhor que você pode encontrar nesta categoria.

Nikon 7100 - uma compacta avançada completa



A concorrente imediata da Canon G15 é a Nikon P7700, também um pequeno monstro no mundo das compactas avançadas.
Com 12.2 megapixels de resoluçãodistância focal equilavente a 28-200mm e ISO máximo de 6400, esta câmera disputa cabeça a cabeça a atenção de fotógrafos profissionais que necessitam de uma câmera mais portátil.
Também fotografa em .JPEG e .RAW e filme em HD. Sai na faixa de 450 dólares.

Olympus OM-D EM-5


Quase pirei quando vi a Olympus OM-D EM-5. Esta câmera sem espelho (mirrorless) é tudo que um amante de fotografia desejar: uma visual retrô de cair o queixo, lentes intercambiáveis, 16.1 megas de resolução, ISO máximo de 25 mil, filma em HD.

Os dois problemas desta câmera são o preço, por volta de 1200 dólares e o fato de só ter visor digital, ao invés de visor ótico, apesar de ter lido alguns reviews positivos sobre o visor.

Uma câmera impressionante, que agradará usuários amadores e avançados.

Canon Rebel T4i (ou 650D) e Nikon D7000 - as melhores Reflex introdutórias


Canon e Nikon são as líderes do mercado em se tratando de câmeras Reflex e se você se ativer a alguma destas duas marcas, há poucas margens de erro.

Reflex introdutória da Canon que você deve prestar atenção é a Rebel T4i, ou 650D na Europa, com resolução de 18 mp, filma em HD, fotografa em .RAW e .JPEG e, com a lente do kit, tem uma distância focal de 18-55mm f/3.5-5.6.
Pela faixa de 900 dólares, você está levando para casa uma câmera confiável, tanto para uso pessoal quanto profissional, depois, é só investir em lentes e acessórios, e você estará feito.


Ou, por um preço um pouco maior, você pode comprar uma Nikon D7000, com resolução de 16.2 mp e lente do kit de 18-55mm. No fundo, as especificações da T4i e da D7000 são bastante parecidas e a escolha entre uma e outra dependerá mais do seu gosto pessoal.

Canon 7D - o negócio está ficando sério


Com uma Canon 7D, você está chegando quase no topo das linhas desta marca, com uma câmera extraordinária, com 18 mp de resolução, lente do kit 28-135mm f/3.5-5.6, que filma em HD, dispara flash externo da Canon sem fio, à prova de clima e areia e com um desempenho de ISO impressionante para situações com baixa iluminação.
Está a um passo das linhas top, com um preço bem mais acessível, por volta de 1600 dólares. É uma câmera que não o deixará na mão.

5D Mark III, o objeto de desejo dos fotógrafos profissionais



A 5D Mark III já é o xodó de muitos fotógrafos e que também se tornou de muitos cinegrafistas por sua estupenda qualidade de vídeo.

A 5D Mark III é uma maravilha com 22.3 megapixels de resolução, full frame, com o novo processador DIGIC 5+ e o incrível ISO máximo de 102400, fotografando em .RAW e .JPEG, filmes em HD com até 29 minutos de duração.
A novidade é um modo para fotografar em HDR, com até 7 exposições diferentes que são processadas pela própria câmera.

A câmera é protegida contra o clima e poeira e é um dos equipamentos mais fenomenais que você poderá encontrar no mercado atual.

Custa a bagatela de 3500 dólares, sem lente. Este é, sem dúvida, o objeto de desejo de muitos fotógrafos profissionais.

1DX - melhor impossível!


Agora, se você só se contenta com o melhor do melhor, então estamos falando da monstruosa 1DX, uma aberração tecnológica de apavorar qualquer fotógrafo: 18.1 megapixels de resolução, full frame, fotografa 12 quadros por segundo (uma compacta normal é por volta de 2), totalmente vedada contra o clima, ISO máximo de 204000 (isto mesmo, 204 mil!!!!), 61 pontos de foco, filma em HD, ou seja, é tudo de bom.

O preço é de 6800 dólares (sem a lente). Já posso tirar a faca?!

Se você pode pagar isto, tenha a certeza que terá uma das melhores câmera do planeta da atualidade. Não é para muitos, eu lhe garanto...

Conclusão

Com exceção da Canon SX260, só demos recomendações de câmeras que possuam o Modo Manual e, portanto, permitirão que vocês estudem um pouco de fotografia.

Existem várias marcas e modelos por aí, algumas muito boas também, mas as recomendações acima são de câmeras que conheço e nas quais confio, e das quais vejo constantemente resultados excelentes de outros fotógrafos.
Nada impede que você consiga obter belas imagens com outros equipamentos, isto dependerá muito do seu talento e do seu conhecimento técnico, principalmente.

E neste ano de 2013 tenho a certeza que aprenderemos muitos juntos por aqui.

Imagens: divulgação

***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

domingo, 2 de dezembro de 2012

A beleza das coisas (aparentemente) insignificantes


A fotografia depende de alguns fatores fundamentais: a situação, a iluminação e o olhar do fotógrafo.

A situação está, em muitos casos, além do controle do fotógrafo. É evidente que você pode persegui-las, como um fotojornalista que está sempre correndo atrás da notícia, ou viajar pelo mundo retratando as belezas por aí.
No entanto, frequentemente, as situações vem ao nosso encontro por acaso, esbarramo-nos acidentalmente nelas.


Já a iluminação pode, e muitas vezes deve, ser controlada. A primeira providência a ser tomada pelo fotógrafo é encontrar o melhor horário do dia, ou o melhor ângulo, com a iluminação privilegiada. Se possível, pode recorrer também a iluminação artificial, como a flashes ou iluminação ambiente.


Por fim, o terceiro fator, e que eu me arriscaria a dizer o mais importante, é o olhar.
Não se pode ensinar os outros a enxergar melhor o mundo, pois esta é uma qualidade nata. Todavia, pode-se ensinar algumas técnicas básicas de composição que, aos poucos, treinarão o fotógrafo e melhorarão consideravelmente suas imagens.
Para ver bem o mundo é preciso estar atento, aberto para todas as experiências, da mais grandiosa até a mais pequena.

Já ouvi algumas pessoas falando que não fotografam tanto porque não há muito de interessante para se ver em suas cidades. Isto é um absurdo, pois um bom fotógrafo encontra beleza até naquilo que parece ser insignificante.

Vejamos alguns exemplos.

Cenas cotidianas


Mesmo uma cidade pequena está repleta de cenas cotidianas que a caracterizam, sejam os idosos sentados numa praça jogando damas, sejam crianças brincando num parquinho.


O tempo todo um monte de coisas ocorrem ao nosso redor, basta pararmos para observá-las.

Belezas naturais


A Natureza é uma rica fonte de inspiração para artistas. Há as grandes paisagens, como montanhas, lagos e rios, mas há também os detalhes, aquilo que muitos nem se dão conta.


Até insetos e flores podem ser objetos extremamente interessantes dependendo do ponto de vista do fotógrafo.

Comidas


Eu adoro fotografar comida, tanto em casa quanto em restaurantes.


Primeiro porque alguns pratos têm um aspecto tão apetitoso que sua própria imagem já é o suficiente para dar fome, depois porque, em restaurantes, geralmente a disposição do prato possui também princípios estéticos, é feita para embelezar a refeição.

Instantâneos urbanos


Muitas cidades são tão orgânicas que, em qualquer esquina, é possível encontrar cenas memoráveis, mesmo que muitas vezes não as percebamos.


Grafites são particularmente interessantes, uma forma de expressão artística de rua e podem se converter em belas fotos.

O poder da observação


A beleza está sempre à nossa volta. Inicialmente, podemos ficar muito impressionados com os grandes monumentos e com os eventos extraordinários, porém, é nos detalhes, nas cenas cotidianas, que encontramos aquela beleza quase imperceptível, que exige atenção e percepção.


É nestas horas que o olhar do fotógrafo faz toda a diferença, pois nem sempre podemos controlar as situações, ou até mesmo a iluminação, mas o olhar está dentro de nós, somente aguardando que paremos e admiremos as pequenas maravilhas da vida diária, que ocorre diante da vista de todos, mas que poucos lhes dão valor.

***
Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Quer fotografar com câmeras de filme? É mais simples do que parece - parte 1


Se você veio para aqui no "Cala a Boca e Clica!", então talvez você já esteja apaixonado pelo mundo da fotografia, disposto a aprender novas técnicas e se aperfeiçoar.

Mas você já pensou em fotografar com uma câmera de filme?

Entendo que as câmeras digitais sejam muito legais e práticas. É clicar, passar para o computador, fazer a pós-edição (mesmo que a maioria das pessoas pulem esta etapa) e pôr na internet para todos verem. São as vantagens do mundo contemporâneo.

No entanto, recentemente houve um revival das câmeras fotográficas analógicas, ou seja, daquelas que ainda usam filme fotográfico. A Lomografia veio com força total e angariou muitos adeptos.

(imagem obtida com uma Pentax K1000)

Eu mesmo nunca havia me interessado por fotografar na época de filme. A minha primeira câmera foi digital, e aprendi a fotografar em câmeras digitais. Todavia, depois de um tempo, pensei que talvez fosse interessante comprar uma câmera de filme e me arriscar, mesmo que fosse apenas para brincar um pouco. E isto se tornou um vício.

Pois fotografar com filme é tudo de bom! É cool, é diferente, é muito charmoso!

Escolhendo uma boa câmera de filme


Ótimas opções de câmeras fotográficas de filme é o que não falta. Desde 1920 até o começo do século XXI, as câmeras de filme dominaram inquestionavelmente o mercado, desde as tradicionals 35mm (o rolo pequeno) até as de outros formatos maiores, geralmente para uso profissional.

Se você está entrando agora neste mundo, o melhor mesmo é começar com uma câmera 35mm, por várias razões:

1 - é mais fácil encontrar os rolos de filme para comprar;
2 - é mais fácil encontrar alguém para revelar os filmes;
3 - os filmes e a revelação custam mais baratos; e
4 - as câmeras também custam mais em conta.

Depois, se você se animar, então pode pensar em partir para uma câmera de formato médio, como as de filmes 120, porém os filmes já são mais caros e nem sempre se encontrará um laboratório capaz de revelá-los.


A minha primeira câmera de filme foi uma FED-3, câmera de fabricação russa da década de 60, uma réplica das antológicas Leicas. Esta câmera não é para amadores, eu já adianto. Ela é totalmente manual, sem baterias, sem fotômetro, sem foco automático, sem nada.
Tem a lente, um visor ótico de uma rangefinder (ou seja, você não veja a imagem através da lente da câmera, como nas Reflex), os controles de abertura de diafragma e velocidade do obturador, a manivela para adiantar o filme e só!

(imagem obtida com uma FED-3)

Para fotografar com uma câmera destas são dois desafios: 1 - obter a exposição correta sem um fotômetro, e 2 - conseguir ajustar corretamente o foco.

No primeiro caso, a princípio eu andava com duas câmeras na rua, uma Reflex digital e a FED-3. Eu media a exposição com o fotômetro da Reflex e copiava as configurações na câmera de filme. Por exemplo, se na Reflex indicava velocidade de 1/100, abertura de f/8 para ISO 100, eu reproduzia esta mesma informação na FED-3.
E as exposições ficavam perfeitas.

(imagem obtida com uma FED-3)

Depois, comprei um fotômetro de mão, como aqueles usados em estúdios, mas, no final, acabei decorando a tabela Sol-16, e, na maior parte das situações, eu fazia o cálculo mental de qual era a melhor configuração.


Já para o foco, em lentes manuais há uma tabelinha com duas informações, a distância em metros (m) e pés (ft), e a profundidade de campo de acordo com cada abertura de diafragma. Isto é, se você quiser uma foto mais nítida, terá de encontrar uma abertura de diafragma que permita um foco mais profundo.

Nestes casos, eu precisava fazer um cálculo mental de qual era a minha distância até o objeto fotografado, e ajustar o anel do foco para a distância estimada, pois é um processo muito mais rápido do que tentar usar o assistente do foco do visor ótico.

No fundo, este é um grande treino para qualquer fotógrafo, pois permite que você prepare sua câmera antes sequer de olhar pelo visor, pois você já montou toda a imagem em sua cabeça e já fez toda a matemática antecipadamente.

(imagem obtida com uma Pentax K1000)

Posteriormente, comprei uma Pentax K1000, um dos equipamentos favoritos de qualquer estudante de fotografia nos EUA. São câmeras baratas, confiáveis, duráveis e fáceis de usar. São completamente manuais, sem baterias e um fotômetro simples, o suficiente para sair fotografando sem medo.

Não espere comprar a câmera analógica e sair tirando fotos excelentes do dia para a noite. Você queimará muitas fotos antes de começar a obter ótimos resultados.

O importante na hora de selecionar um equipamento é pesar o preço e a qualidade da câmera. Câmeras de marcas consagradas, como Leica, Zeiss Contax e Voigtlander serão quase sempre caras. Desconfie se encontrar exemplares muito baratos.
Já de marcas como Canon, Nikon, Pentax, Olympus, Minolta, Kodak, Konica, Fuji, Vivitar e Yashica tem de todos os preços. Câmeras boas custarão mais caro, câmeras mais populares estarão em conta.
Por fim, existem as réplicas soviéticas, como FED e Zorkis (cópias da Leica), a Kiev (réplica da Zeiss Contax), e a Zenit (câmeras Reflex). É possível encontrar boas câmeras russas a preço de banana e é, sem dúvida, a melhor maneira para começar.

Onde conseguir uma boa câmera de filme?

Muita gente começa a fotografar com filme porque encontra uma câmera velha do pai ou do avô e se apaixona. Há ótimas câmeras perdidas nos baús dos antepassados.

No entanto, se você não tiver esta sorte, o melhor site para comprar câmeras que conheço é o Ebay.

Para pesquisar por câmeras fotográficas de filme, você tem de ir na categoria "Electronics", depois em Film Photography, por fim "Film Cameras". Antes de comprar, certifique-se que a câmera já vem com a lente. Além disto, confira se a câmera está em estado operacional, sem fungos nas lentes ou nenhum problema mecânico, pois tem gente que só compra câmeras como objetos de decoração, o que não será o seu caso.
Agora, muitos vendedores do Ebay não gostam de trabalhar com compradores da América Latina, por isto, para refinar sua busca, clique na opção "Worldwide" da barra lateral direita, onde está "Item Location", ou seja, onde se encontra a câmera fotográfica.
Muitas das réplicas russas são enviadas de vendedores na Ucrânia, que não tem restrições de países para a venda.
Um link direto para a seção de câmeras está abaixo.

http://www.ebay.com/sch/Film-Cameras-/15230/i.html

O site da Lomography tem várias câmeras legais e geralmente em bom estado, no entanto, os preços deles são hiper-inflacionados. Caso você prefira, pesquise no site da Lomography, e depois compare os preços e modelos no Ebay. Geralmente, encontrá câmeras pela metade ou até 1/3 do preço.

http://www.lomography.com.br/

Na segunda parte, veremos como escolher os filmes fotográficos e como aprender a mexer na sua câmera de filme.

***
Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

domingo, 28 de outubro de 2012

Revista SAMIZDAT é Top 100 do Topblog 2012. Ajude-nos, votando!



Revista SAMIZDAT (www.revistasamizat.com) está entre os 100 blogs mais populares da categoria de Literatura no Topblogs 2012.

Por isto, viemos aqui para pedir o seu apoio e o seu voto, clicando no botão acima.
Existem três opções de voto, através do e-mail, por sua conta do Facebook ou Twitter, sem complicação alguma.
Inclusive, você pode votar três vezes, uma para cada opção.

Se você é nosso leitor habitual, já conhece a qualidade do nosso trabalho e compreende a importância de publicações como a SAMIZDAT para o panorama literário atual, apresentando o melhor da Literatura que ainda não aparece nas grandes livrarias, feiras literárias ou nos cadernos de Literatura dos jornais.

Nossa missão, hoje e sempre, é a de contornar o brutal processo de exclusão do mercado literário, que tenta relegar às sombras grandes talentos que, por qualquer razão que seja, não se enquadrem em seus restritos perfis de negócio.
Simplesmente não vamos nos calar nem deixar de lutar.

Se você está nos visitando pela primeira vez, gostaríamos de compartilhar com você algumas informações sobre a Revista SAMIZDAT.


 - criada em 2008, a SAMIZDAT foi uma das primeiras revistas digitais distribuídas gratuitamente em .PDF, apresentando autores brasileiros e portugueses, além de grandes nomes da literatura nacional ou internacional;
- foram 34 edições regulares e 1 edição especial;
- mais de 1000 obras publicadas no blog, com a participação de mais de 170 autores consagrados e estreantes, dos mais diversos gêneros;
- acessada por mais de 140 mil leitores no site;
- e lida por outros 130 mil leitores nas edições da Revista SAMIZDAT em .PDF.

Contamos com seu apoio, caro leitor, pois nosso labor e nosso esforço é e sempre será o de lhe trazer o melhor do nosso talento, com obras instigantes, profundas, divertidas, angustiantes ou informativas.

Se ainda estamos aqui, dia após dia e ano após ano, é pelo simples prazer de sermos lidos por vocês.

A votação vai até dia 10 de novembro de 2012.

Obrigado,

Henry Alfred Bugalho
editor

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Fotografando com o IPad, quando a conectividade se une à falta de senso do ridículo


Não vou mentir dizendo que nunca havia visto ninguém fotografando com um tablet antes. Inclusive, quando comprei o meu, tirei algumas fotos para testar a qualidade da câmera.

No entanto, na minha viagem mais recente à Roma, vi algumas cenas perturbadoras: não eram um nem dois turistas, mas vários fotografando com IPad (ou com tablets de outros fabricantes).

Primeiro, você se espanta com isto, depois começa a pensar quão ridículo é.

As vantagens de se fotografar com um tablet

Só consigo pensar em uma: conectividade.

Com um IPad ou tablets em geral, você pode fotografar e enviar a imagem quase que instantaneamente para a internet, para fazer seus amigos morrerem de inveja das suas viagens incríveis.

E só...

Mesmo assim, você necessita de um tablet com 3G ou que haja conexão wireless onde você estiver. Aliás, você pode usar seu smartphone para isto, com praticamente a mesma qualidade de imagem, com bem menos esforço.

As desvantagens de se fotografar com um tablet

Todo o resto.

1 - os tablets são grandes e desengonçados para servirem como câmeras fotográficas;

2 - a qualidade ótica da maioria das câmeras compactas, ou de compactas avançadas são superiores às câmeras dos tablets. Em comparação às Reflex então, a competição é totalmente desleal.

3 - as configurações das câmeras fotográficas dos tablets são praticamente zero. Até dá para controlar o equilíbrio de branco (white balance), a exposição e alguns outros ajustes. Mesmo assim, geralmente não há controle de zoom, muito menos qualquer tipo de função manual. Se você deseja aprender a fotografar, certamente precisará mais do que um tablet tem a oferecer.

4 - alguns aplicativos, como o Instagram, podem ajudar a dar um visual legal nas fotos, mas não equivalem ao que você poderia fazer num programa de edição de imagens.

É possível tirar boas fotos com um tablet?

Se você já acompanha este blog, deve saber que, para mim, o maior segredo de uma foto é o fotógrafo. Um bom fotógrafo é aquele capaz de usar a melhor câmera disponível do mercado, ou até mesmo uma camerazinha de celular.

Isto quer dizer que é possível tirar fotos decentes com tablets, sem dúvida. Abaixo estão dois exemplos:



Mesmo assim, a maioria das fotos que vi feitas com IPads ou com tablets não me impressionaram. Inclusive, não consigo nem imaginar como alguém consegue compor uma bela imagem com um trambolho desengonçado daqueles...

Por outro lado, já vi algumas imagens incríveis feitas com IPhones, ou seja, se esta é a sua onda, está aí uma alternativa.

Como isto parece estar se tornando uma tendência, gostaria de saber a sua opinião.
O que você pensa sobre o assunto? Tem alguma experiência fotografando com tablets? Como foi?


***
Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Tudo borrado - Erros de fotografia que todos nós já cometemos um dia


Duas das situações mais desafiadoras para um fotógrafo são: 1 - fotografar bem à noite e 2 - fotografar bem pessoas, animais ou objetos em movimento.

Se você reunir estas duas condições, isto é, fotografar à noite algo em movimento, então você estará diante de uma missão quase impossível.

Todos nós tiramos fotos borradas, por isto, você não deve se martirizar. Com câmeras compactas, é extremamente complicado obter boas imagens em condições de pouca luminosidade, ou em cenas com movimento.
No entanto, mesmo com uma Reflex, ainda mais se estiver em Modo Manual, você terá de ajustar as configurações de velocidade do obturador, abertura de diafragma e ISO até conseguir a exposição correta, e isto pode implicar em alguns quadros de teste.

O que faz com que uma foto fique borrada?

Velocidade do obturador lenta demais


A velocidade do obturador será a função que o permitirá congelar o movimento. Quanto mais lenta ela for, maior serão as possibilidades de sua foto ficar borrada, seja por causa do movimento do sujeito fotografado, como na imagem acima, seja por causa do movimento do próprio fotógrafo, como na imagem abaixo.


Para objetos ou sujeitos estáticos, a velocidade do obturador mínima recomendável caso você esteja segurando a câmera (isto é, sem tripé) é de 1/15.
É possível obter imagens nítidas com velocidades mais lentas, mesmo sem um tripé, no entanto, você precisará de pulso firme.

Além disto, quanto maior for a distância focal da sua lente, maior será a velocidade mínima recomendável para obter uma foto nítida. Por exemplo, com uma lente de 50mm, a velocidade mínima deveria ser 1/50; já para uma lente de 300mm, a velocidade mínina seria de 1/300.

Fora de foco


Outras vezes, mesmo com uma velocidade do obturador bastante rápida, ainda assim você acabará com uma foto borrada.
Nem sempre é culpa da velocidade. Em alguns casos, o problema pode ser o foco.

Repare na imagem acima.
Apesar de ser uma foto de dois cães em movimento, que já poderia estar borrada pelo próprio deslocamento dos animais, mesmo usando uma velocidade alta de 1/400, os dois cachorros estão borrados.
No entanto, se você observar bem o segundo plano, verá que está tudo nítido. O que ocorreu é que o foco ficou no segundo plano, assim, o primeiro plano ficou ligeiramente borrado.

Velocidade lenta + fora de foco


Quando fotografamos à noite, ou em situações com pouca iluminação, sua câmera terá uma dificuldade natural de obter o foco, demorando muito mais do que o habitual.

Além disto, em situações com movimento, também existirá uma dificuldade normal de se obter o foco, pois, às vezes, o sujeito retratado estará mais próximo da câmera, em outras, mais distante.


Agora reúna estas duas situações. Com pouca iluminação, a velocidade do obturador terá de ser mais lenta e será mais demorado obter o foco. Com objeto em movimento, você terá dificuldades para focar corretamente.
Esta é a fórmula para a desgraça.


Sob estas condições, há grandes chances que você obtenha uma foto:

a - borrada, por causa da velocidade lenta do obturador;
b - desfocada; ou
c - borrada e desfocada.

As Soluções

A primeira solução básica para obter uma foto nítida em condições de pouca luminosidade e/ou em movimento é subir o ISO, abrir a abertura de diafragma e tentar manter uma velocidade do obturador mínima equilavente à da distância focal da lente (por exemplo, para uma lente 100mm, velocidade mínima de 1/100, e não se esqueça do crop factor!).

A segunda solução, que nem sempre poderá ser utilizada, é fotografar com flash. Todavia, de nada adianta usar o flash para fotografar um show, por exemplo, se você estiver 50 metros longe do palco.
O alcance do flash é limitado a poucos metros, por isto, é patético ficar fotografando um sujeito lá do outro lado do planeta com flash.


A terceira solução implica em gastar um pouco para comprar uma lente rápida, isto é, com uma grande abertura de diafragma. As lentes 50mm f/1.8 ou f/1.4 são ótimas para quem precisa fotografar em ambientes escuros.
Com uma grande abertura, você poderá jogar a velocidade do obturador lá para cima, garantindo uma foto nítida.

Por fim, às vezes não conseguimos perceber se a foto ficou completamente nítida no visor da câmera e só descobrimos depois, no computador, que ela está um pouco borrada.
Nestes casos, o pós-processamento não ajuda muito, então só resta deixar estas fotos de lado e selecionar as que ficaram boas.
Além disto, algumas fotos borradas até acabam ficando artísticas, apesar de isto não ser o usual.


***
Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.