sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Fotografando a galera durante as festas

Encontro dos mãos de vaca em NY
(1/250 f/1.8 ISO 400, com flash externo, foto por Gabriel Simão: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6209034839/)

Estão chegando as festas de fim de ano e agora é a hora de reunir a família, toda a parentada e os amigos para celebrar.

Fotografar grupos não é nada fácil, por alguns motivos:

1 - sempre tem alguém que fecha o olho;

2 - sempre tem alguém que está olhando para o outro lado;

3 - como alguém precisar tirar a foto, ou a pessoa tem de:
a) ficar fora da foto, ou;
b) por no timer e sair correndo para entrar no quadro.

4 - geralmente as condições de iluminação não são das melhores, assim é quase obrigatório o uso do flash, que, por si só, já é um pepino à parte.

Quanto mais elementos, neste caso, pessoas, você tiver de prestar atenção, maior será a possibilidade de que alguma coisa não saia bem, mas, mesmo assim, se você não estiver fotografando profissionalmente estes grupos, você pode se dar um desconto.
Agora, se você estiver sendo pago para isto, tudo precisa sair perfeito!

O dois erros básicos ao se fotografar grupos

Tudo no mesmo plano

Fotografando grupos 4
(1/40 f/4.5 ISO 400, com flash embutido: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560189933/)

Este é um equívoco em qualquer tipo de foto, seja de objetos, seja de paisagens, seja de casais, seja de grupos.
Numa imagem, você precisar criar uma hierarquia de interesse, conduzindo o olhar o espectador através da foto, obrigando-o a prestar atenção em cada um dos elementos.
A fórmula de uma foto sem graça é deixar tudo no mesmo plano, tudo quadradinho, tudo alinhado.
Veja a foto acima, não é uma foto mal tirada, a exposição está correta, o flash não ficou estourado, mas não é uma imagem interessante. Todas as pessoas estão no mesmo plano, não existe uma ordem de atenção.

Fotografando grupos 7

Neste segundo caso, a própria diferença de altura entre as pessoas já serviu para criar uma distribuição mais atraente para a foto (que é o mesmo caso da primeiro foto no começo).
Se você se lembrar do artigo sobre linhas e formas, verá que, se uníssemos as cabeças das pessoas na imagem, formaríamos uma espécie de triângulo, compondo uma forma reconhecível e interessante.

Uso incorreto do flash

Fotografando grupos 5
(1/36 f/3.7 ISO 183, com flash embutido: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560186563/)

O uso adequado do flash da câmera é, na minha opinião, um dos aspectos mais avançados da fotografia. Ao incluirmos um iluminação artificial, criamos sombras, reflexos e efeitos que raramente temos como prever antes de tirarmos a foto.

A imagem acima, por exemplo, não está exatamente mal enquadrada (provavelmente, seu fosse o fotógrafo, teria esperado a garçonete no canto superior direito sair do quadro), porém, como era um ambiente interno com pouca iluminação, foi necessário o uso do flash embutido da câmera.

O que aconteceu?

A luz do flash primeiro atingiu a toalha da mesa, que ficou branquíssima. A medição da câmera determinou que o que era importante de se ver eram as duas primeiras pessoas na mesa, por isto, a potência do flash só expos corretamente estes dois primeiros elementos. A medida em que as pessoas se afastam do luz do flash, temos menos iluminação, e elas ficam subexpostas (escuras).
Por fim, temos um reflexo do flash no vidro lá no fundo, que é bastante comum em fotos amadoras com flash (às vezes, é quase inevitável e imperceptível).

No entanto, nesta situação, utilizando o mesmo ponto de vista, a única solução seria um flash externo, que pudesse ser rebatido no teto, iluminando todas as pessoas da mesa. Uma outra opção seria elevar o ISO da câmera ao máximo, porém, por se tratar de uma câmera compacta, o ruído digital seria muito grande e indesejável.

Fotografando grupos 2
(1/60 f/4 ISO 400, com flash embutido: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560222133/)

Nesta segunda foto, temos um ponto de vista bastante parecido, mas a imagem ficou muito mais natural.
O uso do flash embutido ainda criou certos efeitos indesejáveis, como as fortes sombras, mas, mesmo assim, com um ISO mais alto e uma iluminação ambiente melhor, foi possível obter uma foto mais agradável.
Além disto, existe uma ordem na imagem que conduz o olhar, começando com a pizza no canto inferior esquerdo e seguindo pela extensão da mesa até o fim. Já é uma foto muito mais interessante.

Autorretratando o seu grupo

Grupo Boneco de Neve
(1/500 f/4.5 ISO 100, com tripé: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560363665/)

Se você é do tipo que não pode ficar fora da foto, mas também costuma ser o fotógrafo das confraternizações, você provavelmente abusará do timer de sua câmera.

Praticamente todas as câmeras compactas e Reflex possuem uma função de timer, geralmente com duas opções: de 2 e de 10 segundos.

Se você estiver fotografando um grupo e quer aparecer também na foto, acredito que, na maioria das circunstâncias, terá de programar para 10 segundos, assim você terá tempo de correr e mesclar-se com as demais pessoas.

Nestes casos, você precisará de um tripé para apoiar a câmera, ou posicioná-la em alguma superfície plana, como uma mesa, uma estante, cadeira ou até mesmo no chão, em último caso.

Fotografando grupos 6
(1/40 f/4 ISO 400, com flash externo e tripé: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560176509/)

Ao autorretratar o seu grupo, você precisa ajustar a sua câmera previamente e já compondo a imagem pensando onde você ficará na foto. Além disto, uma alternativa é fazer o ajuste do foco manualmente, pois assim você evita que, na hora de pressionar o botão do obturador, a câmera focalize em algum outro elemento que não as pessoas.

Fotografando grupos 1
(1/200 f/4 ISO 200, com flash embutido: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560231791/)

Nem sempre será possível tirar autorretratos extraordinários de grupos, ainda mais se você não tiver um tripé e/ou um flash externo, pois, neste caso, você dependerá do ambiente no qual você está.

Na imagem acima, por exemplo, tive de apoiar a câmera sobre o balcão da cozinha e, por isto, apareceu aquela coisa (que não sei o que é) no canto inferior esquerdo que, para mim, é uma grande distração na imagem. Além disto, se houvesse a possibilidade, também teria tirado a foto de costas para aquela janela ao fundo, pois isto facilitaria a exposição e deixaria a foto mais bonita.

E, como você deve ter percebido nas imagens mostradas, um flash externo faz bastante diferença na qualidade da iluminação.

Considerações finais

Megaencontro dos Mãos-de-Vaca em São Paulo
(1/60 f/4.5 ISO 200, com flash embutido: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/4828614991/)

E não se esqueça que, nestas festas e confraternizações, você está lá para se divertir, rever a família e os amigos. Não precisa ficar tão histérico tirando fotos de tudo. Nestas situações, a fotografia é apenas uma maneira de registrar estes momentos juntos, para relembrarem no futuro.

A não ser que você esteja trabalhando, então é outra conversa!

Fotografando grupos 3
(1/200 f/4 ISO 400, com flash externo: http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/6560205467/)

E só um lembrete: se você pedir para alguém, o tio, a prima ou o cunhado, tirar uma foto do grupo com sua câmera ultramodernosa, faça um favor para ele: ponha no Modo Automático.
A foto até pode não ficar das melhores, mas ninguém é obrigado a saber mexer no seu equipamento, só você mesmo.

Um feliz Natal e que o próximo ano seja ainda melhor do que este!


***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

  1. Oi Henry,
    Já fiz comentário em outro tópico ...
    Uma dúvida sobre fotos amadoras com a galera ou família a noite e uso indevido do flash embutido. Sei que depende da luminosidade e de outros fatores, mas s a iluminação (ambiente fechado, por exemplo) não for muito ruim, vale a pena usar ISO alto e uma velocidade mais baixa no obturador ao invés do flash embutido?
    Achei que as fotos ficam mais naturais sem o disparo do flash einibido.

    ResponderExcluir
  2. Isto depende, Eduardo.

    Acredito que, se você subir o ISO, reduzir a velocidade do obturador e também usar o flash, talvez obtenha bons resultados.

    E também tem de saber usar o equilíbrio de branco para deixar as cores mais naturais.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Muito bacana suas dicas pena que so a vi depois da festa rsrsrs, acompanho sempre seu blog sao dicas valiosas e queria desejar ao cala boca e clica boas festas e um feliz ano novo que continue sempre assim a vcs o meu muito abrigado.

    ResponderExcluir
  4. Olá HENRY, tô ficando meio viciado no seu blog. Inspirado no seu comentário sobre a cinquentinha acabei comprando a minha F/1.4 e estou entusiasmado com os maravilhosos bukehs que ela produz. Percebi, entretanto, pelas fotos que vc. demonstrou acima que a maioria delas, exceto a primeira que fora tirada em F/1.8., foram expostas em F/4,0 na média; Essa é uma abertura ideal para que todas as pessoas saiam nítidas??? Tenho usado bastante o F/1,8 para grupos, mas tenho notado que, especialmente aqueles que estão em segundo plano, ou até mesmo os que estão do lado da pessoa focada, saem levemente desfocados. O que será que está acontecendo??? Será que estou muito próximo do grupo??? Será melhor aumentar a abertura??? Queria que todos saíssem como os da primeira foto, acima. OBRIGADO HENRY.
    *Pedro Jr.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Pedro.

    Antes de tudo, obrigado por sua visita.

    Então, o bokeh dependerá de vários fatores. A abertura de diafragma é um deles. Não existe uma regra absoluta, por exemplo: "com f/8 tudo ficará em foto".

    Isto dependerá de todos os outros fatores envolvendo a profundidade de campo. Sugiro que você dê uma lida com atenção no artigo específico sobre isto.

    Abraços.

    ResponderExcluir