sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Sol-16, ou usando seu olho para medir a luz

Stuyvesant Square

Se você leu o Curso de Introdução à Fotografia, já ouviu falar de fotometria e sabe como isto influencia na hora de expor corretamente uma foto.

Basicamente, o fotômetro (light meter) é um medidor de luz, que pode estar em sua câmera ou pode ser um aparelho à parte, usado principalmente em estúdios ou para iluminação artificial (neste caso, um flash meter).

Fotômetro
(Segurando um fotômetro externo, um dos acessórios mais confiáveis para fotografia de estúdio)

Todas as câmeras digitais compactas e as Reflex do mercado, bem como inúmeros modelos de câmeras de filme possuem um fotômetro.
Nas câmeras compactas, a medição da luz é feita automaticamente, ou seja, o fotógrafo tem pouco ou nenhum controle sobre a exposição.
Nas câmeras Reflex ou naquelas que possuem Modo Manual, o fotógrafo pode ajustar as funções da câmera de acordo com a indicação do fotômetro, controlando a exposição de acordo com suas preferências.

Exposição - Canon XSI
(Fotômetro de uma Reflex digital)

No entanto, como era feita a medição da luz antes da invenção dos fotômetros?

Ou melhor ainda, existe alguma maneira para controlar a exposição sem depender o tempo todo do fotômetro de sua câmera? Tenho como deixar minha câmera pronta para tirar uma foto mesmo antes de olhar no visor?

Sol-16, ou aprendendo a tabelinha de medição de luz (Sunny-16)

Cala a boca e clica! - Sol - 16

A existência dos fotômetros é bastante recente, comparada à História da Fotografia. O primeiro fotômetro de selênio (analógico) só passou a ser utilizado na década de 60, enquanto que os primeiros fotômetros digitais só surgiram no começo da década de 80, ou seja, antes disto, o fotógrafo tinha de medir a luz no "olhômetro", baseado em sua experiência e, principalmente, na tabela Sol-16.

O que é esta desgraçada tabela Sol-16?

É muito mais simples do que parece. O que a tabela Sol-16 determina é que, num dia ensolarado, fotografando um objeto ou sujeito sob o sol, estando a abertura de diafragma em f/16, a velocidade do obturador deve ser igual ao ISO do filme (ou da câmera digital).

O que isto quer dizer, em termos práticos?

Daremos um exemplo: se você for fotografar a sua mãe, num dia ensolarado num parque, você ajusta a abertura de diafragma para f/16, o ISO em 100 e a velocidade do obturador em 1/100 (ou o mais próximo possível a este valor, como 1/125).

Simples não é?

Se você quiser fotografar em ISO 200, ponha a velocidade do obturador em 1/200 (ou 1/250) e a abertura em f/16, e assim por diante.

Agora, e se eu não quiser fotografar sempre em f/16, o que faço da vida?

Então você terá de ajustar as demais funções.

Por exemplo, se você quiser fotografar em abertura f/8 e ISO 100, isto é, dois f-stops mais claro que em f/16. Para tanto, você terá de aumentar a velocidade do obturador em dois stops, ou seja, em 1/500 (lembre-se das velocidades padrões do obturador, 125-250-500, e também das aberturas padrões, f/8-f/11-f/16).

Isto exigirá que você pense em outros fatores quando estiver fotografando, mas isto será o que realmente o diferenciará da maioria dos outros fotógrafos que caíram de paraquedas neste ramo.
É por isto que você está estudando, afinal de contas!

Se você já fotografou com câmeras de filme, ou começou agora a fotografar com uma câmera analógica, já deve ter visto nas embalagens dos filmes uma tabela como a de cima, que basicamente é a tabela Sol-16 ilustrada.

Naquela imagem, recortada da embalagem de um filme ISO 200, você pode ver a configuração ideal da câmera em diferentes condições de iluminação, com sol, um pouco nublado, escurecendo, em ambientes internos, à luz de velas e depois de ter escurecido.
A lógica é basicamente a mesma que já apresentamos, além de acrescentar variações de acordo com a iluminação.

Tabela Sol-16 completa
f/22 - fotografando na praia ou na neve, com sol
f/16 - fotografando com sol
f/11 - ligeiramente nublado
f/8 - nublado
f/5.6 - bastante nublado
f/4 - na sombra/pôr do sol

Sempre lembrando que a velocidade do obturador será igual ao ISO do filme ou o ISO ajustado na câmera.
Além disto, isto vale apenas para fotografia sem flash, se você for fotografar com flash, daí são outros quinhentos e esta tabela vale bem pouco!

Como o Sol-16 pode me tornar um fotógrafo melhor?

Fall at Gramercy Park

A primeira coisa que faço ao sair com uma câmera na rua é ajustá-la de acordo com a tabela Sol-16.

Antes de tudo, ajusto o ISO: ISO 100 para dias ensolarados, ISO 400 para sombra ou ambientes internos, ISO 800 para ambientes escuros.
Depois, ajusto a abertura de diafragma para o valor desejado, por exemplo, f/8, que é uma boa abertura para fotografar tanto retratos quanto paisagens.
Por fim, ajusto a velocidade do obturador de acordo com a tabela Sol-16, fazendo a correção nos stops. Como dissemos acima, f/8 são dois f-stops mais claro, portanto, preciso ajustar a velocidade do obturador para ser dois stops mais rápido, isto é, 1/500 em ISO 100.

Enfim, antes de tirar a foto, eu confiro o fotômetro da câmera (no visor) para ver se os ajustes estão corretos e fotografo.
Em dias ensolarados, a tabela Sol-16 funciona 98% das vezes. Tanto a foto acima quanto a primeira foto, foram tiradas com uma câmera de filme sem fotômetro e a exposição saiu correta só no "olhômetro".

Exercícios práticos

1 - Num dia ensolarado, teste a tabela Sol-16.
a - ajuste a abertura para f/16, o ISO 100 e velocidade do obturador em 1/125;
b - ajuste a abertura para f/16, o ISO 400 e velocidade do obturador em 1/500;
b - ajuste a abertura para f/16, o ISO 800 e velocidade do obturador em 1/1000.

A exposição está correta, a foto ficou sobrexposta (clara demais) ou subexposta (escura demais)?

2 - depois teste a tabela Sol-16 em diferentes condições de luminosidade, como em ambientes internos, com o dia nublado e confira os resultados.

3 - Depois compartilhe conosco o resultado de seus experimentos, tire suas dúvidas e faça seus comentários. Lembre-se também se juntar-se à gente em nosso grupo no Flickr.



***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

  1. Muito obrigada , pela primeira vez consegui usar o "M" da minha maquina
    Andrea

    ResponderExcluir
  2. Oi Henry!! Então, achei a regra super-útil, mas vc citou que 8 são dois f-stops mais claros que 16, mas existem outras aberturas antes dessa...Deve-se seguir apenas a abertura padrão, é isso??Obrigada novamente, dicas práticas e úteis como sempre!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Claudia.

    Eu utilizo os f-stops padrões para simplicar as contas, pois cada incremento ou redução no f-stop representa o dobro ou a metade de claridade. Se começarmos a falar de 1/2 ou 1/4, ou outras frações de f-stop complicará ainda mais...

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Olá Henry, gostaria de parabenizá-lo pelo excelente curso sobre a fotografia, é um dos melhores q já vi, se não o melhor em termos didáticos e de objetividade. Tb aguardo, ansiosamente, as tuas futuras publicações no teu outro blog sobre a tua viagem ao Taiwan, a minha terra natal onde nasci e vivi até os 16 anos de idade. Abraço. Dennis Chen

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela visita, Dennis. Aquele blog ficou um pouco abandonado nos últimos tempos, pois estou trabalhando tanto nos outros e em alguns romances que estou escrevendo que está difícil conciliar tudo.
    Mas, assim que der, eu publico algumas das histórias que passei em Taiwan.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Adorei esta dica da tabela Sol 16! Acredito que vai me ajudar bastante (pois sou iniciante). Parabéns pelo blog! Um abraço, Tricia

    ResponderExcluir
  7. Muito legal seus artigos,já aprendi bastante com vc...Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Henry, gostei muito de aprender sobre a tabela Sol-16.

    fiquei apenas com uma dúvida:

    Em dia ensolarado, quando eu quiser fotografar com abertura diferente de f/16, vou ter de fazer o cálculo de quantos f/stops clareou ou escureceu para então acertar a velocidade do obturador, certo?

    Isso será aplicado na Tabela que você passou: ex. dia nublado abertura f/8 (ai terei de fazer todo o cálculo para achar a velocidade do obturador)?

    obrigada pela atenção

    Talita Cumi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Talita.

      Exatamente isto. Se você alterar a abertura de f/16 para alguma outra, terá de fazer os ajustes na velocidade do obturador, por exemplo:
      em ISO 100, se você alterar de f/16 para f/8, são dois f/stops à mais de claridade (sua foto ficaria superexposta), então você terá de aumentar a velocidade do obturador em dois stops, de 1/125 para 1/500.

      O único problema desta tabela é que você terá de decorar, a princípio, as aberturas e velocidades do obturador padrões, mas isto é algo que se aprende numa sentada.

      Só lembrando que, no caso do dia nublado, a velocidade do obturador continua sendo equivalente à do ISO, se for ISO 100, a velocidade será 1/125 e abertura f/8, você só fará ajustes se alterar alguma das configurações.

      Abraços.

      Excluir
  9. Oi, Henry!
    Valeu pela clara explicação.
    Agora me surgiu uma dúvida.

    Tenho uma câmera analógica assim:
    - velocidade entre 1/1000s (1/500; 1/250; 1/125; 1/60; 1/30; 15; 8; 4; 2) e 1s (e ainda tem um "B").
    - abertura entre f/16 (f/11 - f/8 - f/5.6 - f/4 - f/2.8) e f/1.8
    - asa/iso entre 12 (25; 50; 100; 200; 400; 800) e 1600

    Se eu comprar um filme iso200, isso significa que, em dia ensolarado, a menor velocidade vai ser 1/200. Eu só teria 1/500s e 1/1000s pra explorar. Desta forma, só poderia usar abertura f/11 e f/8.

    É isso? Se eu usar uma abertura maior que f/8, a foto pode ficar superexposta.

    Seria melhor, então, eu comprar uma iso100 ou, se existir, iso50, pra eu poder explorar mais as aberturas e profundidades de uma foto?

    Outra coisa: quando eu aperto o "depth of view" da câmera (practika mtl3), existe um monte de círculo no visor. Ora o círculo menor fica preto, ora transparente; o intermediario fica quadriculado... Eu não consigo entender isso, mas tem a ver com foco. Neste manual (http://bit.ly/11nCHPt), está na seção "focusing on the measuring wedges" (páginas 9 e 10). Você sabe como usar?

    Valeu!

    André (decoamarelo@hotmail.com) - nunca acerto me encaixar nas opções do "comentar como", então coloquei anônimo.

    ResponderExcluir