sábado, 6 de agosto de 2011

Introdução à fotografia 19 - Composição: Repetição e Ritmo

Padrão do outono

A fotografia se assenta sobre alguns dos mesmos princípios das demais formas de Arte e, além dos princípios técnicos sobre os quais já falamos - ISO, velocidade do obturador, abertura de diafragma, distância focal -, um dos maiores segredos de uma boa foto é como os elementos de um quadro estão dispostos, o que chamamos de composição.

Existem várias técnicas de composição, e mais de uma pode estar presente numa foto.

Repetição e Ritmo

Bicycles

Na música, define-se ritmo como o movimento marcado pela sucessão regular de elementos fortes e fracos. Pense numa canção ou numa dança, o ritmo é que o nos leva a bater o pé, a tamborilar os dedos, a mover os quadris ou a bater palmas. O ritmo é o que nos põe em movimento.

Ritmo e repetição estão conectados, repetição cria pode criar um ritmo, enquanto o ritmo funda-se numa repetição.

Numa fotografia, o ritmo é que o estimula o nosso olhar a mover-se pelo quadro de uma foto, visualizando todos os elementos relevantes. Já vimos como as linhas, formas e cores podem contribuir para transmitir-nos diferentes sensações e certamente elas também são fundamentais na hora de impor um ritmo.

Na foto das bicicletas acima, a repetição das rodas cria uma linha diagonal, dinâmica, que conduz o nosso olhar do canto inferior direito da foto até o canto superior esquerdo.

Blizzard in New York

Esta é a mesma lógica utilizada na foto destes carros cobertos de neve, a repetição cria uma linha diagonal que cruza toda a extensão da imagem, conduzindo o nosso olhar até o segundo plano, onde podemos ver o pub e a mulher de guarda-chuvas roxo.

Grand Central Area

Neste outro caso, temos a combinação de linhas diagonais, de contraste e do padrão criado a partir do reflexo de um edifício no outro. É o tipo de imagem que intriga, pois o espectador precisa pensar um pouco para compreender do que se trata.

Pumpkins - Union Square Fair

Já na foto das abóboras, além das linhas diagonais formada pelas caixas, e pelo contraste entre os frutos coloridos e os recipientes negros, temos também o oposição de formas, arrendondadas versus retilíneas.

Sunset in New York

Por fim, nesta fotografia de um por-de-sol, a repetição das nuvens cria tensão, dinamismo e até podemos vê-las lentamente se movendo pelo céu.

A repetição e o ritmo são maneiras muito interessantes, e em várias situações quase intuitivas, de atrair a atenção do espectador e criar uma hierarquia de valores. É um fator que pode diferenciar fotos convencionais de fotos atraentes.

Exercícios práticos

1 - procure situações de repetição, padrões ou texturas que possam criar fotografias com ritmo;

2 - compartilhe conosco seus experimentos, dúvidas ou comentários.

http://www.flickr.com/groups/calabocaeclica/



***

Gostou deste artigo?


A melhor referência para quem deseja aprender a tirar fotos melhores.

  1. Uma duvida.. por que nesta foto http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/4084765364/ a velocidade do obturador esta tão alta se o modelo fotografado nao se movimenta? se fosse pela exposição o correto não seria abaixa o ISO para 100 por exemplo?

    ResponderExcluir
  2. Bem, eu não me lembro exatamente quais foram as circunstâncias desta foto, blacknose, mas, como você pode ver, eu provavelmente estava na sombra, fotografando pessoas ou objetos na sombra, por isto o ISO estava em 500.
    Eu devo ter visto o reflexo no prédio, e por ser uma área iluminada pelo sol, eu ajustei apenas a velocidade do obturador (imagino que a foto deve estar 1 stop subexposta neste caso). Na câmera que eu utilizo, é muito mais rápido ajustar a abertura ou a velocidade do obturador, e como ela só começa a ter ruído digital a partir de ISO 800, um ISO alto não afeta tanto a qualidade. E, pelo ISO estar alto e a abertura grande (f/4 era o máximo na lente usada), necessitei de uma velocidade mais rápida.
    No entanto, a foto poderia ter sido tirada com ISO 100, f/8 em 1/250 e obter um resultado bastante semelhante.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Acabei de comprar uma Nikon Coolpix S8000, para tirar fotos de looks a noite e dentro de casa (pois tenho um blog de moda), mas acho que não estão saindo tão boas!!
    Agora eu não sei se é pq eu não sei usá-la direito ou se é pq a máquina não é tudo isso!!
    Já tirei nas funções automático, retrato e retrato noturno e não adiantou nada.
    O que vc acha?? Errei na escolha?
    Abs
    Georgia

    ResponderExcluir
  4. Oi, Georgia.

    Geralmente as câmeras compactas não são das melhores para ambientes internos ou para fotos noturnas.

    Sugiro que você leia o artigo sobre como utilizar melhor sua câmera compacta.

    http://www.calabocaeclica.com/2011/07/tirando-fotos-melhores-com-sua-camera.html

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. oi Henry, adorei o blog!!! vou ler tudo e acompanhar sempre!

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do blog. Adoro fotografia, mas minha conta bancária só me permite ainda que me divirta apenas com a minha compacta. Achei aqui algumas dicas interessantes e adoraria se colocasse mais macetes para tentar tirar algo produtivo das pequenas câmeras. Obrigada!

    ResponderExcluir
  7. Olá..

    Esse é um curso de INTRODUÇÃO????
    É muito mais do que aprendi no curso de introdução que fiz e muito mais do curso intermediário que IRIA fazer.
    Esse conteúdo que vemos aqui é bem avançado, porém, muito didático.
    Parabéns e obrigado por nos ajudar.

    ResponderExcluir
  8. Sério? E qual foi o conteúdo do curso introdutório que você fez?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Olá Henry!

    Gostava que me indicasse qual a razão para a foto «http://www.flickr.com/photos/henrybugalho/3985076363/» possuir uma abertura alta (f8) e no entanto apresentar uma reduzida profundidade de campo?

    Obrigado uma vez mais pela sua ajuda.

    Abraço,
    Pedro

    ResponderExcluir
  10. Oi, Pedro.

    Se você se lembra do artigo sobre Profundidade de Campo, deve ter visto que são três os fatores que influenciam: 1 - abertura de diafragma, 2 - distância entre o fotógrafo, o objeto e o segundo plano e 3 - a distância focal da lente.

    Neste caso, usei uma lente 50mm (que numa câmera com crop factor 1.6x equivale a uma de 80mm, ou seja, uma telefoto).

    Estou bastante perto do primeiro plano e, como você pode ver, o segundo plano vai ficando gradativamente desfocado, que se deve à distância focal e a distância do segundo plano para o primeiro.

    Se eu houvesse fotografado com abertura f/1.4, por exemplo, apenas a primeira bicicleta (ou parte dela) estaria em foco, e todo o resto desfocado.

    Abraços.

    ResponderExcluir